Pular para o conteúdo principal

Como comprar um Apartamento no Minha Casa, Minha Vida?

Conheça as regras do programa e o lançamento em Biguaçu próximo ao mar que atende ao MCMV


O Minha Casa, Minha Vida (MCMV) é a maior iniciativa de acesso à casa própria já criada no Brasil. Programa do governo federal que viabiliza a compra da casa própria por famílias de baixa renda.

O programa prevê diversas formas de atendimento a famílias que necessitam de moradia, considerando a localização do imóvel, seu valor e a renda familiar.

Quem pode ter acesso ao Minha Casa, Minha Vida?


O Minha Casa, Minha Vida é para todos os que se enquadram nas modalidades abaixo descritas. As taxas de juros, subsídios e prestações variam de acordo com a faixa salarial do beneficiário e levam em consideração a localização do imóvel e se o beneficiário possui ou não Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

FAIXA 1

A modalidade MCMV Faixa 1 produz empreendimentos habitacionais destinados a famílias com renda mensal bruta até R$ 1.800,00. Os valores dos imóveis variam de acordo com a localidade. Nesta faixa, o subsídio a que o beneficiário tem direito pode ser até 90% custeado. O pagamento será feito em até 120 prestações mensais de no máximo R$ 270,00, sem juros.

FAIXA 1,5


A Faixa 1,5 - destinada a famílias com renda até R$ 2.600,00 - oferece subsídios até R$ 47.500,00 para financiamento de imóveis até R$ 135.000,00, com 5% de taxa de juros anuais, dependendo da sua renda, localização do imóvel e se houve contribuição ao FGTS.

FAIXA 2


A Faixa 2 é destinada a famílias com renda entre R$ 2.600,00 e R$ 4.000,00 e oferece subsídios até R$ 29.000,00 e taxa de juros de 5,5% a 7% ao ano, dependendo da sua renda, localização do imóvel e se houve contribuição ao FGTS.

FAIXA 3

Essa modalidade possibilita o acesso à moradia de famílias com renda bruta mensal acima de R$ 7.000,00 e até R$ 9.000,00, com condições especiais de taxas de juros, 8,16% a 9,16% ao ano, dependendo da sua renda, localização do imóvel e se houve contribuição ao FGTS.

Quais as vantagens do Minha Casa, Minha Vida?

O Minha Casa, Minha Vida é acessível. As prestações cabem no seu bolso. Isso mesmo, esse programa permite que você financie casas e apartamentos com taxas de juros e prestações bem abaixo que as do mercado. Além disso, você pode ter direito a um subsídio, que é uma ajuda a mais que o Minha Casa, Minha Vida oferece para você sair do aluguel e adquirir a casa própria.

Novas Regras Minha Casa Minha Vida 2018


Uma das mudanças significativas foi no limite da renda para faixa 1 que aumentou de R$1,6 mil para R$1,8 mil mensais por família. A faixa 1 é o grupo que recebe mais subsídios e também não paga juros.

Outra mudança significativa diz respeito à própria infraestrutura das casas, segundo governo ela será melhorada para poder oferecer unidades habitacionais mais espaçosas e com mais conforto. O objetivo é trazer um aumento de 2 metros quadrados em suas plantas em paredes e lajes com maior espessura. Mudanças muito importantes e que com certeza fará diferença nas casas à venda. Quando se trata de família na faixa 1 elas nem precisam pagar os juros.

Lançamento em Biguaçu no programa MCMV


Morar em um apartamento novinho, perto do mar, em localização privilegiada com o programa MINHA CASA MINHA VIDA é possível no Residencial BuonaVitta. 

- 2 dormitórios (com opção de jardim);
- Sacada
- Apartamento de 48 a 68 m²

✅ Infraestrutura completa de lazer com:

- Piscina Adulto e Infantil;
- 3 salões de festas;
- Playground
- Quadra poliesportiva

Fale agora com o corretor enviando os seus dados de contato clicando em SAIBA MAIS.






Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

PRÓS E CONTRAS DE MORAR EM ANDAR ALTO DE PRÉDIO

No mercado imobiliário quanto mais alto os andares dos imóveis, mais caros e mais valorizados eles são. Mas será mesmo que tem tantos benefícios um apartamento em andar alto? Encontramos algumas opiniões na internet que vamos compartilhar com vocês. A Vista privilegiada de um andar alto, a sensação de ver toda a cidade e até dar uma espiada em como está o trânsito sem ter que olhar nenhum aplicativo é a melhor coisa. Além de ter menos insetos, menos barulhos internos pois quanto maior alto o andar, menor será o número de pessoas transitando pelos corredores, também sem salões de festas, playgrounds e salões de jogos acaba sendo raro ter barulho de crianças brincando, a não ser que o vizinho tenha muitos filhos. E quem mora nos andares mais altos de um apartamento tem menos efeito na estrutura do imóvel pois recebem menos impacto de encanamento e pressão da água, por exemplo, adiando o número de reformas no imóvel. Afinal, até agora só temos prós em poder morar em andares altos! E

CONHEÇA O BAIRRO ABRAÃO EM FLORIANÓPOLIS

O bairro Abraão é situado próximo a Coqueiros . Local estratégico tanto para o acesso à ilha quanto ao aeroporto é rápido e fácil. A infraestrutura local de comércio e serviços também é bastante variada e completa, trazendo opções como o Supermercado Angeloni e a Via Gastronômica, sem mencionar a presença do charmoso Parque de Coqueiros e as vistas inigualáveis da baía. Além do mais, foi anunciado o ano passado, a construção de um novo parque que ficará justamente no Abraão, em frente ao Complexo Neoville.

Edifícios mais altos do Brasil: One Tower (3) e Infinity Coast (4)

Continuando os edifícios mais altos do Brasil. na terceira e quarta posição segue os dois empreendimentos da FG Empreendimentos em Balneário Camboriú - Santa Catarina. Conheça detalhes dos empreendimentos: One Tower O One Tower também disputa o espaço da Barra-sul, em Balneário Camboriú. O projeto da FG Empreendimentos e projeto estrutural (tipo hélice contínua) assinado pela Reical Engenharia, a torre de 263 metros terá 70 pavimentos voltados para uso residencial. A construção iniciou em 2015 e vai levar sete anos para ser finalizada, em 2022. Infinity Coast Os 66 pavimentos do Infinity Coast fazem dele uma torre de 237 metros de altura com três tipos de plantas de apartamentos. Localizado na quadra do mar, na Barra-norte de Balneário Camboriú, deve ser concluído em 2017, totalizando cinco anos de obras (iniciadas em 2013).